Claudia Garcia Serpa Osorio de Castro

Possui graduação em Farmácia e Mestrado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e doutorado em Saúde da Criança e da Mulher pela Fundação Oswaldo Cruz. É Pesquisadora Titular no Departamento de Política de Medicamentos e Assistência Farmacêutica-NAF, da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, e Editora Associada dos Cadernos de Saúde Pública e da Revista Ciência e Saúde Coletiva.  É líder de Grupo de Pesquisa e Pesquisadora 1C do CNPq.

Fórum ONCOLOGIA

09 de junho de 2021

Horário: Das 16h30 às 17h40

A iniquidade no acesso a tratamento sistêmico: quais são os ajustes regulatórios necessários para resolver esse problema?

Proposta do tema: Um dos maiores gargalos da atenção oncológica no SUS é a iniquidade no acesso a tratamento sistêmico. Novas tecnologias vão sendo incorporadas, mas não ofertadas, seja por falta de uma coordenação nacional na aquisição dos medicamentos seja por falta do correspondente reajuste na tabela de procedimentos no SUS. Consequentemente, fica muitas vezes inviabilizada a inclusão desses tratamentos nos protocolos de conduta dos hospitais habilitados em oncologia no SUS. O tema vem sendo debatido há anos, mas quase nada foi feito para super esse desafio. A proposta da mesa é bastante prática: quais ajustes regulatórios poderiam ser feitos para eliminar ou mitigar os fatores centrais que levam à desigualdade no acesso ao tratamento sistêmico.